segunda-feira, 1 de junho de 2009

aeronaves, radares, sonares, rádios piratas

Certamente o acidente com a aeronave da Air France não torna este o melhor momento para o post a seguir, não é oportunismo e sim uma macabra e infeliz coincidência, pq passei o fim de semana pensando e debatendo com amigos a questão das rádios piratas e sua (maldita) interferência nos aeroportos brasileiros.
Quem escreve aqui é um defensor das rádios comunitárias, desde que estas não atrapalhem o dial de outras emissoras, alguém que já participou de um projeto de rádio livre ((nota esclarecedora: nome bonito e diferente de rádio pirata/comunitária só pq são pessoas de alta compeensão política q bolaram)), alguém que resolveu se pergutar como raios pode uma rádio com uma potência tão pequena impedir a aterrisagem de uma engenhoca voadora cheia de tecnologia.
Quem ouviu a BandNews FM ouviu o chilique do Boechat sobre o assunto, pq em SP, um piloto comentou teve que arremeter, aquele procedimento bizarro que o avião desiste de aterrisar pq ouvia só um culto pelo rádio transmissor.
Não, não vou cair na asneira de discutir religião, a sacanagem que políticos e religiosos fazem com dial, a influência política para se conseguir uma concessão. Só vou cair numa asneira: culpar o sistema! ((Nota mental: a turma da rádio livre nem vai ficar triste comigo pq se a culpa é do sistema, tá valendo!!))
A pergunta intrigante é exatamente essa: como pode uma rádio de 1km de alcance que ocupa um dial intermediário da banda FM atrapalhar uma aeronave/centro de controle de um aeroporto?
Desculpe a ignorância do amigo, mas siga a linha de raciocínio deste ser quase irracional: como e por que o sistema aéreo brasileiro ocupa o espectro das rádios FM, de 88 a 108Mhz?
Sendo assim, qualquer rádio poderia influir no tráfego aérero não? Lembre daquele seu radinho manual de quando era criança, vc demorava a acertar a sintonia da sua rádio favorita, não? Imagina se no meio de uma delas, vc ouvisse: aeronave TAM vôo 3645, pedindo permissão para aterrisar!
Pior, pegue seu radio eletrônico, hoje, o dial no RJ pula a cada 0.8: vamos facilitar. Beat 98 = 98,1 - MEC 98,9 - JB 99,7 - FM O Dia 100,5 ...
Eu conheço algumas piratas que operam neste miolo, se alguma rádio dessas atrapalha os controladores de tráfego aéreo, pq não as rádios oficiais atraplahriam?
A banda é grande, são 0.8 MHz de distância que viram 0.4MHz, mas não é ariscado demais operar no espectro FM convencional?
Explicação técnica: o espectro FM vai 88 a 174 MHz, as rádios só vão até 108MHz. O espectro abaixo, até 88, serve os canais de TV de 2 a 6. Acima de 174, os canais de TV de 7 a13. É isso mesmo, é uma banda só, uma tecnologia só. ((lembrança: ah, por isso que no início do meu rádio eu sempre ouvi a Manchete, hoje em dia, RedeTV...))
Finalizando e concluindo, não seria mais fácil usar a banda entre 108 e 174MHz? Não seria mais fácil ocupar o espectro fora dessa banda?
Pule a janela, pare um pouquinho, descanse um pouquinho, 580 km...

Um comentário:

hcontact disse...

O amigo tem razão no que diz: Mas só para esclarecer melhor o espectro destinado à transmissão de radio em modulação por frequencia, ou seja, frequencia modulada (FM) é de 88 a 108 Mhz. Porém tecnicamente uma emissão proveniente de transmissores de fabricação amadora ou caseira, na maioria das vezes não possuem cuidados técnicos de projeto visando atenuação de frequencias espurias ou harmonicas. Essas frequencia, são oriundas da frequencia fundamental na qual o transmissor trabalha. Para evitar a emissão de frequencias harmonicas ou espurias são necessários filtros e se estes não existem por deficiencia de construção dos transmissores não homologados, ou fabricados artesanalmente, pode sim existir interferencia em outros segmentos do espectro de radiocomunicação.
Frequencias harmonicas são multiplos ou submultiplos da frequencia fundamental de uma emissão e ainda podem existir outras frequenias que são oriundas de intermodulação geradas por deficiencia técnica no projeto de equipamentos do genero.
Essas interferencias são facilmente detetadas em equipamentos aeronauticos e de outros serviços, pois os receptores utilizados possuem sensibilidade muito mais aprimorada que os rádios domesticos, ou de carros que funcionam na faixa de fm.
Portanto a interferencia é possivel pelos motivos explicados acima, embora a emissão esteja em outra faixa de frequencia.
Um grande abraço.